Cansaço excessivo: saiba o que pode estar por trás disso

Você tem se sentido excessivamente cansado e não consegue descobrir o motivo? Veja uma lista com mais de 30 possíveis causas e saiba o que fazer para lidar com o problema.

Cansaço inexplicável é sintoma de diferentes condições de saúde física e mental.
Aquela sensação de cansaço inexplicável pode ser aviso de uma condição de saúde subjacente.

Índice:

Sintomas do cansaço excessivo

Causas do cansaço excessivo

1. Quantidade de água ingerida

2. Horas de descanso

3. Qualidade do sono

4. Excesso de cafeína

5. Dieta

6. Sedentarismo ou excesso de exercícios

7. Condições médicas

8. Problemas de saúde mental

9. Situações relacionadas ao trabalho

Como se livrar do cansaço excessivo

Livros sobre cansaço, desânimo e fadiga

O cansaço excessivo é sintoma de muitas condições de saúde física ou mental.


Também pode ser decorrente de hábitos prejudiciais, como sedentarismo e dieta pobre em nutrientes essenciais ao funcionamento do organismo.


Mas quando entender o cansaço como sinal de algo mais sério?


Afinal, ele não é uma consequência natural de atividades — ou da própria rotina?


Depende.


Seu cansaço desaparece após uma boa noite de sono? Parece proporcional e lógico, considerando suas possíveis causas?


Caso responda “sim” a essas questões, não há motivo para preocupação.


A situação muda quando o cansaço é contínuo, persistente e parece estar piorando com o tempo — supostamente, sem razões concretas.


Quer entender melhor essa diferença?


Então confira o próximo tópico deste texto.


Sintomas do cansaço excessivo


São indícios de que seu cansaço está além do normal quando:

  1. Você pega no sono ou cochila em momentos inapropriados.

  2. Se sente exausto após esforços banais.

  3. Acorda desanimado, como se o tempo de sono não tivesse efeito reparador.

  4. Em sua rotina, são comuns sensações de fraqueza, apatia e preguiça.

  5. Tem muita dificuldade de vencer a sonolência durante o dia.

  6. Percebe que sua concentração e memória estão deficientes.

  7. Não consegue pensar com clareza.

  8. Nota a visão embaçada.

  9. Sente tonturas e enjoos.

  10. Seu raciocínio está mais lento.

  11. Sua produtividade está reduzida.

  12. Vê seu corpo se mover com dificuldade, como se os músculos estivessem pesados ou doloridos.

  13. Seu apetite está alterado.

  14. Sente falta de disposição e energia, mesmo para realizar atividades prazerosas.

  15. Frequentemente você está de mau humor, irritado e emocionalmente instável.

  16. Você tem crises de enxaqueca ou dores de cabeça frequentes.


Esses sintomas descrevem seus dias típicos?


Cuidado!


Eles podem ser resultados de condições que você, sozinho, talvez não consiga identificar.


É importante que você converse com um profissional de saúde, relatando os sinais de cansaço de maneira mais detalhada possível.


Isso ajudará o médico a avaliar quais exames deve pedir e orientar sobre os melhores especialistas para seu caso.


Causas do cansaço excessivo


A fadiga é um excelente indicador de bem-estar porque é um sintoma muito difícil de mascarar. A única maneira de se livrar da fadiga é tratar as causas subjacentes. A fadiga tem muitas faces, mas todas dizem a mesma coisa: a carga mental e física é muito grande. — Kathleen A. Kendall-Tackett

As causas do cansaço excessivo tendem a se concentrar em pelo menos um desses 4 aspectos: estilo de vida, condições médicas, problemas de saúde mental e situações relacionadas ao trabalho.


Vamos começar falando do setor que está mais sob nosso controle: o estilo de vida.


O que, em nosso dia a dia, em nossos hábitos, pode ser responsável pela sensação de letargia?


Veja alguns pontos que merecem sua atenção:


1. Quantidade de água ingerida


O cansaço é um sintoma comum da desidratação (quando o corpo usa ou precisa de mais água do que você consome).


Para contornar o problema, a recomendação é que você beba entre 2 a 2,5 litros de água por dia.


Uma dica: sabe quando você sente fome e não sabe “de quê”? Beba água. Geralmente, isso resolve o problema.


2. Horas de descanso

O cansaço excessivo pode ser resultado de sono de má qualidade ou repouso insuficiente.
Durante o sono, o corpo produz uma série de hormônios e otimiza o metabolismo.

Segundo a National Sleep Foundation, adultos precisam de 7 a 9 horas de sono para atender às necessidades de repouso.


Se a sua média está abaixo desse padrão (ou muito acima), considere alterar seus horários de ir para a cama e despertar.


3. Qualidade do sono


Não basta dormir o suficiente.


É preciso garantir que o ambiente seja oportuno ao sono revigorante.


Isso significa que seu quarto deve ser silencioso, o mais escuro possível e na temperatura adequada (entre 16 e 21 graus).

Para garantir que suas horas de sono sejam revigorantes, veja a lista de hábitos para dormir melhor que publicamos no blog.

4. Excesso de cafeína


Aquela xícara de café que você bebe para iniciar o dia, certamente, não é um vilão.


O problema está no consumo exagerado — cujo efeito rebote é a sensação de cansaço.


Se, para permanecer alerta, você percebe que precisa de doses constantes de cafeína (presente não apenas no café, mas também em refrigerantes, energéticos e alguns suplementos), experimente limitar o consumo a 4 xícaras (225 ml) de café fresco, em momentos alternados do dia — evitando sua ingestão após o fim de tarde.


5. Dieta


Frituras, carboidratos refinados, doces, fast food… Se essa é a base de sua alimentação diária, pode estar aí a causa de seu cansaço.


Adicione frutas, verduras e legumes às suas refeições — são escolhas mais inteligentes para quem busca energia e disposição.

Dica: 13 alimentos que combatem o cansaço

  • Alface

  • Espinafre

  • Couve

  • Nozes

  • Semente de chia

  • Arroz integral

  • Aveia

  • Feijão

  • Banana

  • Abacate

  • Maçã

  • Ovos

  • Leite


Você pode se valer, também, de alimentos que combatem a depressão. Clique no link para conferir diversas opções e entender o porquê dos possíveis benefícios de cada um deles.

6. Sedentarismo ou excesso de exercícios


Os dois extremos inimigos da saúde física e mental.


Encontre o ponto de equilíbrio!


7. Condições médicas


O cansaço excessivo pode ser sintoma de doenças subjacentes, dentre as quais podemos mencionar:

  • coronavírus (Covid-19) — sendo que a fadiga crônica pode persistir por meses após a infecção;

  • anemia;

  • desequilíbrios na tireoide (hipotireoidismo ou hipertireoidismo);

  • diabetes;

  • doença celíaca (intolerância ao glúten);

  • enfisema;

  • apneia do sono;

  • infecções;

  • pressão alta;

  • doenças hepáticas;

  • obesidade;

  • fibromialgia;

  • artrite;

  • câncer;

  • esclerose múltipla;

  • problemas cardíacos;

  • doença de Addison.


Por essa lista você já pode concluir porque é tão importante contar com avaliação médica diante da persistência do cansaço.


Não protele a busca por diagnóstico e, consequentemente, o encontro do tratamento adequado.


8. Problemas de saúde mental


As causas do cansaço excessivo também podem estar relacionadas a certas condições psicológicas, incluindo:


Ou seja, se a revisão de seus hábitos não surtir efeito e exames laboratoriais não chegarem a um veredicto sobre as causas de seu cansaço, pode ser muito útil — e revelador! — conversar com um psicólogo.


Na verdade, mesmo na presença de outros problemas, o acompanhamento psicoterapêutico será recomendado — pois te ajudará a desenvolver resiliência e saudáveis perspectivas de enfrentamento.

Por vezes, as pessoas protelam a consulta com um psicólogo porque têm uma noção muito vaga de como funciona a terapia.


Se esse é o seu caso, as explicações detalhadas no texto Consulta com psicólogo: como é a primeira sessão de terapia? serão muito úteis para você.

9. Situações relacionadas ao trabalho

Fadiga crônica é um dos sintomas da síndrome de burnout.
A explicação para o cansaço excessivo pode estar em uma rotina de trabalho intensa ou desregrada.

O cansaço inexplicável pode ser resultado da rotina profissional.


Aqui, é importante que você esteja atento não apenas a mudanças recentes. Por vezes, a fadiga aparece em função de práticas com as quais você está acostumado e nunca pareceram prejudiciais — até agora.


É comum que as causas do cansaço excessivo estejam associadas aos seguintes problemas:

  • conflitos com a equipe de trabalho;

  • jornadas excessivas ou turnos irregulares;

  • ambiente de trabalho barulhento ou com temperaturas muito desagradáveis;

  • tarefas repetitivas e entediantes;

  • trabalhar sozinho — ou interagir pouco com outros colegas;

  • insegurança quanto ao emprego;

  • ser workaholic;

  • insatisfação com o trabalho;

  • sobrecarga de atribuições.

A sensação de esgotamento também pode ser indício da síndrome de burnout. Porém, os sintomas de burnout vão muito além do cansaço. No link em destaque você encontra explicações mais detalhadas sobre a condição.

“A fadiga tem muitas faces e muitas causas. Fadiga e cansaço têm significados diferentes para pessoas diferentes." — Michael A. Schmidt

Como se livrar do cansaço excessivo


Primeiro, vamos enfatizar: o cansaço inexplicável deve ser discutido com seu médico. Se a causa da fadiga crônica estiver relacionada com algum problema de saúde mais sério, mesmo que você siga todas as orientações abaixo, você não irá recuperar sua energia e disposição.


Além disso, enquanto adia um checkup, a situação de saúde pode se agravar, trazendo a necessidade de tratamento mais complexo.


Sabendo disso, as demais medidas que você pode adotar para eliminar a sensação de cansaço incluem:

  1. Começar o dia com um bom café da manhã.

  2. Fazer refeições regulares (e saudáveis) a cada 3 ou 4 horas.

  3. Iniciar uma rotina de exercícios.

  4. Reduzir o consumo de álcool.

  5. Beber mais água.

  6. Fazer um detox digital.

  7. Dormir e acordar, todos os dias, no mesmo horário.

  8. Dedicar tempo a atividades de lazer.

  9. Cortar a cafeína (faça o teste por um mês e avalie como se sente).

  10. Parar de fumar — o cigarro reduz seus níveis de oxigênio e dificulta a respiração, o que compromete sua energia.

  11. Meditar durante 10 minutos antes de iniciar seus trabalhos.

  12. Evitar cochilos durante o dia. Eles podem atrapalhar seu ritmo circadiano. Porém, se você se sente sonolento e desatento durante à tarde, é preferível que você tire um cochilo de 20 minutos, após o almoço. Apenas tome o cuidado de não ultrapassar essa média de tempo.

  13. Tomar sol — uma caminhada de 15 minutos, ao ar livre, é o ideal. Se não puder sair, garanta que a luz natural possa entrar pelas janelas do ambiente onde você passa a maior parte do tempo.

  14. Introduzir atividades relaxantes na rotina — que tal ouvir música enquanto trabalha?

  15. Evitar situações e pessoas que te deixam irritado, frustrado ou melancólico.

  16. Fazer pausas durante o trabalho. Levante-se, alongue-se, beba um copo d’água!

  17. Passar mais tempo ao ar livre.

  18. Encontrar um método para diminuir a desorganização — tanto de espaços físicos quanto da sua agenda de compromissos.

  19. Manter vida social ativa.

  20. Adotar o dia da saúde mental como prioridade em sua agenda. Se for possível, uma vez por semana. Ou, pelo menos, programe-se para ter esse momento uma vez por mês.

Leitura complementar: Bons hábitos: pequenas mudanças que farão você se sentir MUITO melhor (acesse o texto para aprender um passo a passo simples, que te ajudará a desenvolver novos hábitos).

Livros sobre cansaço, desânimo e fadiga


Os livros que indicamos abaixo abordam o cansaço — e sintomas semelhantes — sob aspectos variados.


Alguns títulos propõem reflexões sobre a origem do excesso de cansaço, considerando o estilo de vida e a cultura da produtividade que, hoje, testemunhamos.


Outros, focam em dicas práticas, sugerindo alternativas para um ritmo mais saudável no dia a dia.


Junto à indicação do livro, você encontra algumas informações adicionais. A ideia é que, a partir desses apontamentos, você consiga avaliar se a leitura está de acordo com suas necessidades e interesses.


É sempre válido lembrar que nenhum livro substitui orientação de um especialista.


Porém, a leitura pode te apresentar recursos complementares, que vão te ajudar a entender e lidar com o mal-estar.


1. Sociedade do cansaço


Por Byung-Chul Han. Editora Vozes.


Partindo de um viés filosófico, a obra está centrada em discutir a mentalidade do século XXI — impregnada, segundo o autor, por discursos motivacionais problemáticos.


O trecho da resenha, disponibilizada no site da Editora Vozes, dá o tom das reflexões que você encontrará no livro:


"As pessoas se cobram cada vez mais para apresentar resultados — tornando elas mesmas vigilantes e carrascas de suas ações. Em uma época onde poderíamos trabalhar menos e ganhar mais, a ideologia da positividade opera uma inversão perversa: nos submetemos a trabalhar mais e a receber menos. Essa onda do ‘eu consigo’ e do ‘yes, we can’ tem gerado um aumento significativo de doenças como depressão, transtornos de personalidade, síndromes como hiperatividade e burnout."


2. A arte de relaxar: 7 passos para entender a fadiga e aprender a descansar


Por Léonard Anthony e Adrian Chaboche. Editora Alaúde.


Para conhecer o estilo da narrativa desse livro, você pode baixar um trecho da obra no site da Editora (neste link).


Quanto à resenha, também disponível no site da Alaúde, destacamos o seguinte comentário:


"A arte de relaxar é um livro dedicado a pensar o estresse do dia a dia e seus quadros extremos. Ele nos ensina não a sofrer com a fadiga, mas a entendê-la, identificando suas causas com o auxílio de exemplos tirados da vida cotidiana e de exercícios. A obra explora os temas que mais provocam cansaço — trabalho, solidão (sozinha ou em pares), família, vida digital, sono, dores e doenças — e apresenta as práticas de autocuidado e bem-estar que precisamos desenvolver se quisermos uma vida mais saudável."


3. Ensaio sobre o cansaço


Por Peter Handke (ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2019). Editora Estação Liberdade.


No site da Editora, a obra é assim descrita:


"Neste Ensaio, Handke explora a serenidade do cansaço. Esse estado com o qual todos nós temos nos relacionado, e normalmente visto como algo negativo, se tornará um diálogo narrativo do autor consigo mesmo, uma experiência de vida universalizante a partir de formas e imagens que dele emanam e que o transformam numa premissa fundamental de uma vida poética: 'O que o cansaço inspira diz menos sobre o que é para se fazer do que aquilo que pode ser deixado para trás'.”


O livro é uma excelente sugestão para aqueles apreciam boa literatura!


4. Vencendo a fadiga crônica: seu guia passo a passo para o restabelecimento completo


Por Kristina Downing-Orr. Summus Editorial.


Mais específico que os demais títulos desta lista, o livro é indicado para pessoas diagnosticadas com Síndrome da Fadiga Crônica (SFC).


A autora é psicóloga clínica e viveu a condição durante anos — o que a estimulou a investigar o assunto com profundidade.


A resenha disponibilizada no site da Summus Editorial informa o que você irá encontrar no exemplar:


"Este livro traz informações sobre a Síndrome da Fadiga Crônica (SFC) e apresenta um programa de recuperação que busca integrar aspectos clínicos, nutricionais e psicológicos. A obra pretende analisar os principais sintomas da SFC e aqueles que podem confundir os médicos no momento do diagnóstico; explicar as causas da doença; oferecer indicações de remédios, suplementos, vitaminas e alimentos que ajudam a combater a SFC; indicar estratégias psicológicas para enfrentar o distúrbio; apresentar exercícios físicos que podem ser incorporados paulatinamente ao cotidiano. Traz ainda endereços de instituições e grupos brasileiros que ajudam os pacientes a lidar com a SFC."

Como leitura adicional, sugerimos o texto Cansaço mental: 7 maneiras simples de combater a sensação de esgotamento, disponível aqui no blog.


Também fique à vontade para registrar suas dúvidas ou experiências no campo de comentários.


Se desejar contato direto com os psicólogos da Clínica Nodari, envie sua mensagem pelo formulário do site.




Clínica de Psicologia Nodari

Clínica de Psicologia Especializada em Terapia Cognitivo Comportamental.

Está localizada na Vila Mariana/SP


92 visualizações0 comentário