Como encontrar o amor-próprio?


Vamos cultivar o amor-próprio?

O amor-próprio guia suas decisões.

É o que você pensa sobre si mesmo, o que acredita que merece, que o leva a escolher um relacionamento, procurar um novo trabalho, cuidar da saúde e se permitir experiências.

Então, veja: às vezes fugimos de palavras como amor-próprio, autoestima e autoconhecimento. Elas podem soar meio abstratas, sem utilidade prática.


Mas a verdade é que, se você parar para pensar, vai ser obrigado a admitir. Esses assuntos não têm nada de místicos.


A forma como você se comunica com os outros, por exemplo, é totalmente influenciada pelo seu amor-próprio.

Todo “sim” e “não” que você diz num dia. O modo como você enfrenta problemas. E até a quantidade de água que você bebe. No fim, tudo depende do seu amor-próprio.

Basta trocar “amor-próprio” por “instinto de sobrevivência” para ter uma ideia melhor.

Porque, se você gosta da própria existência, quer vivê-la da melhor forma possível.

Busca coisas que te fazem bem.

Quer se preservar, ter uma vida longa. Ser bem-sucedido. E feliz.


Agora, se você não está muito satisfeito com quem é, automaticamente dará menos valor a tudo. Terá menos prazer. Tomará decisões ruins. Deixará que os outros — e você mesmo — o tratem mal.


Por isso, amor-próprio não deveria ser uma coisa que você deixa para depois.

Ou esperar que venha como consequência de conquistas.

O amor-próprio determina onde você está agora!

Com quem está, o cargo que ocupa, as vontades que tem para o futuro.

Quer saber? O amor-próprio determina até sua produtividade.


Então, que tal “discutir a relação” que você vem tendo consigo mesmo?

É preciso cultivar o amor próprio

Por onde começar?

Experimente se fazer — e responder com maior sinceridade possível — as seguintes perguntas:


  • O que gosto em mim, exatamente do jeito que é? (Vale tudo, de aparência à personalidade).

  • No que sou bom?

  • Qual foi a última vez em que me senti bonito, competente, digno de um elogio?

  • O que faço em meu dia a dia que mostra que tenho amor-próprio?

  • E o que faço que acaba prejudicando meu bem-estar (físico e mental)?

  • Qual é minha maior necessidade no momento?

  • Eu me perdoo pelos erros do passado?

  • Com que frequência eu peço desculpas?

  • Quais são as crenças e regras que me imponho? De quais poderia me livrar para me sentir em paz comigo mesmo?

  • Eu condiciono meu amor-próprio ao que outras pessoas pensam de mim?

  • Sei quais são os meus limites? Eu os respeito?

  • Pelo que sou grato hoje?

  • O que me impede de me amar mais? De me cuidar melhor? De me sentir merecedor de reconhecimento e novas oportunidades?

  • O que as pessoas admiram em mim?

  • Estou apegado a algo ou alguém que me faz mal? Por que não me afasto? Por que me sinto preso?

  • Qual meu maior orgulho?

  • Quem estou me tornando?

Sugestão de uso para essa lista de avaliação do amor-próprio:

Não tente responder tudo de uma vez!

Cada uma das 17 perguntas já é material para um dia inteiro de reflexão.

Então, vá com calma.

Comece por aquela questão que mais te deu vontade de responder.

Ou por aquela que mais te incomodou.

Uma boa dica é anotar as perguntas num caderno — que tal um bullet journal? — e, diariamente, tirar um tempinho (antes de dormir ou quando você acorda, por exemplo) para se dedicar a respondê-las.


Próximo passo? Mudar o rumo do diálogo interno!

A base de qualquer relacionamento saudável é a comunicação.

E isso também vale para o relacionamento que você tem consigo mesmo.

Sim, você conversa consigo próprio. O tempo todo.

Mesmo que não esteja plenamente consciente do que “a voz na sua cabeça” esteja dizendo.

Seus pensamentos, suas ideias, suas crenças… Tudo o que compõe seu diálogo interno tem extrema influência sobre suas atitudes diárias.


A boa notícia é que você pode escolher o que diz a si mesmo.

Há uma técnica da terapia cognitivo comportamental que você pode usar para criar uma conversa mais produtiva:

Prática de afirmações positivas.


Seja sua maior ''prioridade''

Você não precisa acreditar que elas funcionam.

Apenas faça o teste.


Abaixo, indicamos 10 afirmações positivas para despertar seu amor-próprio:


  • Hoje, sou minha prioridade.

  • Sou eu quem crio minha realidade.

  • Estou me tornando a pessoa que desejo ser.

  • Algo maravilhoso está prestes a acontecer.

  • Cuido do meu corpo porque mereço boa saúde.

  • Confio em meu talento.

  • Eu atraio coisas boas.

  • Estou em paz com meu passado.

  • Se alguém pode fazer, sou capaz de fazer.

  • Mudo meu pensamento e minha vida me dá novas respostas.

Leia, releia. Repita em voz alta. Memorize para lembrar em diferentes momentos do dia. Imprima este texto para colocar na porta da geladeira…

Enfim, faça o uso que achar melhor.

Tente repetir essas frases diariamente por, pelo menos, 30 dias.

Trabalhe nelas até que se tornem sua realidade.

Sua autoconfiança, autoestima e amor-próprio vão se encarregar de mostrar os resultados.

Depois, se puder, volte aqui no texto para contar sua experiência!





Clinica de Psicologia Nodari

Clínica de Psicologia Especializada em Terapia Cognitivo Comportamental.

Está localizada na Vila Mariana/SP

Rua Domingos de Morais, 2781, conj. 310

04035-001, Vila Mariana, São Paulo, SP

Ao lado da estação metrô Santa Cruz

Estacionamento gratuito no local

whatsapp-512.png
  • icone_facebook
  • icone_instagram

© 2019 | site da Clínica de Psicologia Nodari.