Como posso ajudar a diminuir a ansiedade do meu filho(a)?



Para diminuir a ansiedade do seu filho, experimente algo que você ainda não tentou: explicar para a criança o que é essa tal de ansiedade.


Exatamente. Se você nota o problema, não o torne um assunto proibido.


Pois você já deve ter notado que oferecer recompensas ou ameaçar punições são caminhos que não funcionam.


Se a criança sente medo do escuro hoje, continuará sentindo medo amanhã — e durante todo o tempo que ela interpretar aquele cenário como uma ameaça, que aciona seu instinto de fugir.


Portanto, diminuir a ansiedade é uma questão de encará-la.


Entendê-la.


E, muito provavelmente, você já fez inúmeros esforços para entender o porquê da ansiedade de seu filho.


Mas, acaso, já explicou para ele o que ele está sentindo?


Você nota que a criança tem ansiedade porque você conhece o conceito. Reconhece sinais. Identifica padrões.


Mas e ele? Tem esse conhecimento todo?


Será que a criança não fica perdida, sem saber como reagir de outra forma?


Então, se você quer ajudá-la, lembre de como ela melhor aprende coisas novas nessa fase da vida: conte a ela uma história.


História para diminuir a ansiedade de crianças


Você pode improvisar a história como quiser. Mas alguns pontos precisam estar presentes.


Vamos ver quais são eles:


1. Explique como funciona o corpo

Seja didático, usando exemplos e vocabulário de acordo com a idade da criança.


A importância dessa parte da história é trazer a compreensão de que os sintomas da ansiedade são normais e, muitas vezes, são úteis.


Se o seu filho souber o porquê de suas reações (que são instintivas e perfeitamente naturais) ele sentirá melhor controle sobre si mesmo, conseguindo diminuir a ansiedade assim que ela aparece.


Afinal, nossa capacidade de enfrentar desafios é proporcional ao nosso entendimento sobre o que eles significam.


Quer uma sugestão de como você pode explicar essa história para seu filho?


Experimente algo assim:


Qual o papel do cérebro?


Dentro da nossa cabeça, a profissão do cérebro é cuidar da nossa segurança e do nosso bem (o filme “Divertida Mente” é perfeito para ilustrar a ideia).


E um dos poderes do cérebro é o radar do perigo.


Com esse radar, ele enxerga tudo o que pode nos prejudicar, nos ferir ou nos magoar.


Muito esperto, quando o cérebro vê um sinal de problema, ele logo avisa todo o corpo.


Sem demora, o corpo entende que há apuros à vista.


O que o corpo faz?


Sabendo que há perigo, o corpo precisa dar um jeito de ficar longe do inimigo.


E como ele pode fazer isso?


Ele usa todas as armas que conhece!


Então, às vezes o corpo sai correndo para fugir.


Outras vezes, fica parado, “empacado” no lugar.


Às vezes, para se proteger do perigo, o corpo fala alto, dá gritos, bate o pé, chora ou até faz sentir dor de barriga ou de cabeça.


O cérebro e o corpo fazem um excelente trabalho.


Quase sempre eles acertam ao nos proteger do perigo.


Mas, às vezes, o cérebro não entende direito o que o radar quis dizer.


Aí ele se assusta e manda todo o corpo ficar atento — preparado para fugir ou para lutar.


É uma pena. Porque, naquele lugar onde o cérebro só viu coisas ruins, se ele pudesse olhar de novo, iria encontrar tantas coisas interessantes…


2. Fale sobre a ansiedade


Nessas horas, quando o cérebro e o corpo se enganam, eles estão enfrentando seu grande inimigo: a ansiedade.


Ela é uma espécie de vilão invisível, que quer nos derrotar com seu superpoder do medo.


Adultos também enfrentam a ansiedade.


Ela atrapalha a vida de todo mundo de vez em quando.


Sabe quando a ansiedade gosta de aparecer?

  • Quando vamos conversar com uma pessoa que ainda não conhecemos bem.

  • Quando estamos em lugares grandes, que não parecem tão seguros quanto nossas casas.

  • Quando precisamos passar um tempo separado das pessoas que amamos.

  • Quando há muita gente diferente ao nosso redor.

  • Quando precisamos fazer uma coisa pela primeira vez.


Dica

Convide a criança para contar outras situações que dão medo. Como se fosse a continuação da história.


Ela não vai se sentir intimidada a falar diretamente sobre os próprios medos.

E vai acabar revelando motivos de sua ansiedade, espontaneamente.


3. Como vencer a ansiedade?

Mas, então, como podemos ensinar nosso cérebro e nosso corpo a não cair nas armadilhas da ansiedade?


Afinal, ficar ansioso, com medo, é uma sensação bem ruim, não é verdade?


A gente se sente pequenininho, sem chance de vencer o inimigo.


Sabe qual é o truque para ficar mais forte e corajoso?


É diminuir a ansiedade!


Isso mesmo!


Para vencê-la, o melhor jeito é deixá-la bem pequena.


Tão pequena que irá perder seus superpoderes do medo.


Agora, você deve estar curioso para saber como fazer isso, certo?


Então preste atenção nessas 3 armas secretas:


Sopro mágico


Você sabia que a ansiedade diminui de tamanho sempre que ela enfrenta um sopro especial?


Quer aprender esse sopro mágico?


É bem simples: primeiro, você respira bem fundo, puxando bastante ar pelo nariz.


Depois você solta todo esse ar pela boca, como se estivesse enchendo um balão ou soprando uma vela de aniversário.


O sopro mágico é um poder infinito!


Então você pode usá-lo várias vezes, porque cada sopro deixará a ansiedade menor e menor.


Escudo do pensamento


Outra coisa que diminui a ansiedade são os pensamentos felizes.


Sabe por quê?


Porque o medo fica covarde quando pensamos em coisas boas!


Então, na hora que a ansiedade chegar, lembre do escudo do pensamento.


Basta pensar nas coisas que você gosta de fazer, nos carinhos que você recebe, nas vezes que você já foi corajoso e se sentiu muito bem.


Raio silenciador


O raio silenciador serve para deixar a ansiedade quieta.


Porque a ansiedade gosta de falar muito e, toda vez que ela fala, fica maior.


Lembra que o truque é diminuir a ansiedade?


Então, para fazer ela desaparecer, você não pode escutá-la!


Faça assim: quando a ansiedade começar a falar, você olha para outro lado.


Procure coisas que tenham a cor branca e conte quantas encontra.


Enquanto você está contando quantas coisas brancas estão perto de você, a voz da ansiedade vai ficando cada vez mais baixa.


Até que, de repente, ela nem existe mais!


Pronto: com o raio silenciador você vence mais uma batalha!


4. Continue a história


Seu conhecimento sobre a ansiedade infantil será o grande diferencial na ajuda que pode oferecer a seu filho.


Então, aprenda outras técnicas para diminuir a ansiedade.


Leia textos que expliquem causas e sintomas comuns da ansiedade em crianças.


Enfim, entenda — com profundidade — o que é a ansiedade.


E procure traduzir todo esse conhecimento nas conversas com seu filho.


Responda às suas perguntas.


Sugira estratégias de enfrentamento.


Deixe ele saber que você é um aliado, com o qual pode contar para vencer seus medos.

Lembre: você só pode ensinar aquilo que conhece.


Então, assuma a tarefa de aprender mais sobre a ansiedade.


Aqui, no blog, e em nossas redes sociais (Facebook e Instagram) você encontra informações e recursos de apoio. Portanto, fique de olho em nossos conteúdos! #Psicóloga #Ansiedade #Psicologia #VilaMariana #SaúdeMental #ClínicaDePsicologia #AnsiedadeInfantil

37 visualizações

Rua Domingos de Morais, 2781, conj. 310

04035-001, Vila Mariana, São Paulo, SP

Ao lado da estação metrô Santa Cruz

Estacionamento gratuito no local

whatsapp-512.png
  • icone_facebook
  • icone_instagram

© 2019 | site da Clínica de Psicologia Nodari.