Ginástica para o cérebro funciona? Veja como estimular a saúde cognitiva e memória em cada fase

Já ouviu falar sobre ginástica para o cérebro? O termo “neurofitness” em tradução para o português “neuróbica” teve origem nos Estados Unidos pelo pesquisador americano chamado Larry Katz.


Com fundamentos das neurociências, Kartz defende o seguinte: quanto mais ativo manter o cérebro, melhor reforça as suas conexões e por consequência, fortalece a memória e os processos cognitivos.


A partir dessa premissa, empresas brasileiras comercializam jogos para “turbinar o seu cérebro” e garantem que esses benefícios são consolidados pela ciência. O público interessado por esse tipo de exercício varia, desde crianças, adolescentes, adultos e principalmente, idosos.


Convido você para discutirmos sobre a cognição, memória e o que de fato é saudável para o cérebro e apresenta validação científica. Não podemos nos esquecer de que os fatores pessoais, como a idade, por exemplo, tem forte influência. Confira a seguir.


Ginástica para o cérebro: por que devemos olhar de forma crítica?


Os jogos no geral, como vídeo-game, cartas, xadrez, estimulam o raciocínio, memória e organização de indivíduos saudáveis. Porém essas atividades entram no campo da socialização, é uma brincadeira saudável realizada junto aos amigos.


Leia também: Como a escuta terapêutica beneficia o seu cérebro.


Entrar na questão de que tais exercícios beneficiam a cognição de uma forma geral é uma promessa simplista da qual devemos nos atentar. O declínio da memória, por exemplo, é bastante comum com o avançar da idade, principalmente em indivíduos que não são ativos cognitivamente.


Inúmeras questões fisiológicas, comportamentais e até possíveis complicações a nível neuronal podem interferir na saúde cognitiva e consequentemente na memória.


Cada caso é único


Indicar a ginástica cerebral e os jogos comercializados para idosos não é a única solução no combate a demência e Alzheimer, inclusive na abordagem neuropsicológica discute-se cada vez os benefícios da socialização, leitura, e caminhadas na prevenção e tratamento contra a demência.


É importante compreendermos que as deficiências cognitivas possuem uma larga amplitude, logo atividades muito específicas, como os jogos, por exemplo, não atuam beneficiando todas as funções necessárias e quase sempre ficam restritos a determina atividade e repetição.


Cognição é assunto sério!


O intuito não é dizer que você não deve jogar e desenvolver tais habilidades também importantes - inclusive fazem parte de momentos de lazer - mas explicar que a cognição não está restrita a esses exercícios e pode não apresentar os resultados efetivos na prática, na sua vida cotidiana fora dos contextos em que é realizada essas atividades. Afinal, o objetivo é sempre a qualidade de vida.  


Ao apresentar dificuldade de concentração e memória o ideal é consultar uma equipe de especialistas como clínico e nutricionista, para excluir as possíveis interferências fisiológicas e nutricionais, e por fim, o psicólogo e neuropsicólogo para avaliações cognitivas orientadas para a situação.


Confira: Quando procurar um neuropsicólogo?


Atividades validadas pela ciência e que beneficiam a cognição e memória em cada fase da vida:


Crianças


Brincadeiras ao ar livre: brincar é a maneira mais eficiente de desenvolver competências sociais, como: empatia, organização, comunicação, habilidades motoras e planejamento;


Aprender a tocar um instrumento: estudos evidenciam que o aprendizado instrumental reforça conexões no cérebro relacionadas a memória, organização e controle das emoções. É importante a espontaneidade e de fato a criança ter o desejo de aprender o instrumento para que a atividade seja benéfica e não uma pressão dos pais;


Esportes: esportes no geral são excelentes atividades para a saúde do cérebro e também estimula competências comportamentais na criança, como a liderança, proatividade, planejamento, habilidade para trabalhar em equipe, disciplina e concentração;


Jogos: os jogos de memória, planejamento, banco imobiliário, xadrez e muitos outros, além de divertidos, ajudam na capacidade de planejamento, treino da memória, raciocínio lógico e são ainda mais saudáveis se praticados em grupo.


Grupo de leitura: é essencial o estímulo à leitura, principalmente a interpretação de textos com linguagens distintas. Tais estímulos auxiliam a criança numa percepção mais ampla das situações, aguça o pensamento crítico e na formação de uma mentalidade ajustável aos diferentes pontos de vista;


Adultos


Meditação: estudos científicos de ressonância magnética funcional observam mudanças estruturais no cérebro, como na região da ínsula, responsável pela “auto-análise”em indivíduos praticantes assíduos de meditação. A atividade promove a percepção dos fatores corporais internos e auxilia no equilíbrio das interpretações externas;


Atividade física: o sedentarismo é inimigo da memória e saúde cognitiva. A atividade física, como a caminha ou corrida, por exemplo, estimulam a circulação sanguínea e contribuem para oxigenação do cérebro. Processo essencial para o estímulo cognitivo e concentração;


Dormir bem: não é nenhuma novidade que o sono é essencial para a saúde, principalmente ao se tratar da memória. Enquanto dormimos o cérebro está em intensa atividade, atua na organização das diferentes memórias e faz o trabalho de “higiene” mental. Quem possui insônia pode ter a memória bastante comprometida. É essencial investigar a causa;


Idosos


Atividades sociais: estar com os amigos e inserido em atividades sociais, embora seja uma atividade simples, é considerada entre as melhores para a saúde cognitiva do idoso;


Artesanato: os exercícios lúdicos, como também a culinária são excelentes treinos cognitivos para o idoso. Durante essas tarefas é necessário o planejamento motor, executivo e ainda a memória na escolha dos ingredientes e acessórios;


Caminhadas: a oxigenação do cérebro é muito importante para o idoso na prevenção contra doenças neurodegenerativas. Outro exercício indicado para os idosos é o pilates, nesse caso auxiliando-os no bem estar e melhora na motricidade;


Leitura e arte: a participação em peças teatrais e a leitura são excelentes ferramentas para a saúde cognitiva e memória. O teatro, por exemplo, atua tanto nas expressões, no contato social, como também estimula a orientação corporal no espaço, uma dificul


Rua Domingos de Morais, 2781, conj. 310

04035-001, Vila Mariana, São Paulo, SP

Ao lado da estação metrô Santa Cruz

Estacionamento gratuito no local

whatsapp-512.png
  • icone_facebook
  • icone_instagram

© 2019 | site da Clínica de Psicologia Nodari.