Melancolia: o que é e como lidar?

Atualizado: há 4 dias

Confira definições, sintomas, referências (filmes e livros), tratamentos e frases sobre melancolia e "personalidade melancólica".


o que é melancolia
“A melancolia é a consciência da escuridão em nós.” — Hans Ulrich Bänziger

Melancolia é mais que tristeza. E é diferente de depressão. Embora essas palavras, muitas vezes, sejam usadas como sinônimos, elas descrevem condições distintas do estado de espírito.


O que explica essa confusão é a semelhança de sintomas.


Já as causas e o tempo de “duração” das sensações, têm características próprias.


Vale a pena conhecer as definições das palavras, pois elas nos ajudam a nomear nossas dores e identidades.


Neste texto, procuramos expandir o entendimento sobre a condição melancólica — um conceito que ajuda a expressar muitas sensações que não se encontram em rótulos conhecidos.


Confira os apontamentos sobre melancolia que selecionamos.


Elas podem ajudar você a se entender melhor — ou desenvolver mais empatia em relação às pessoas com as quais convive.


Índice


O que é melancolia?


Devemos a Hipócrates — considerado o “pai da Medicina” — o início das investigações sobre a personalidade melancólica.


No século IV a.C., ele formulou a teoria dos quatro humores, que considerava 4 fluidos corporais como determinantes da saúde do organismo. São eles: sangue, fleuma, bílis amarela e bílis negra.


Qualquer doença ou tipo de temperamento, nessa perspectiva, seria ocasionada pela irregularidade de algum desses elementos.


O comportamento melancólico, assim, refletiria o excesso de bílis negra.


Em consequência, uma tristeza profunda e duradoura — sem causa externa — seria percebida no indivíduo.


A ideia de Hipócrates atravessou os séculos e chegou a Freud, que descreveu o transtorno o comparando ao luto — sem objeto de perda definido.


No luto, é o mundo que se torna pobre e vazio; na melancolia, é o próprio eu”. — Sigmund Freud

Luto e melancolia na perspectiva de Freud


O que há de singular na melancolia é que ela é sempre considerada como algo que vem “de dentro”.


Não há um motivo aparente e específico que justifique o abatimento.


Isso diferencia a melancolia da depressão regular, uma vez que os sintomas depressivos podem ser diagnosticados como decorrentes de fatos ou eventos concretos — e tratados de acordo.


Já o paciente melancólico necessita de um entendimento particular. Sua tristeza não tem uma origem contextualizada. É possível que exista desde a infância, como um traço de personalidade.


Melancolia na arte


Para alguns, a tendência melancólica pode ser assimilada com maior facilidade, especialmente quando é canalizada para alguma atividade criativa.


No século XIX, inclusive, o Romantismo (movimento artístico) atribuiu grande valor para manifestações dessa ordem.


Mas, dependendo da gravidade da indisposição, as atividades mais banais podem se transformar em desafios complexos.


Tal condição foi poeticamente retratada pelo cineasta dinamarquês Lars Von Trier, no filme Melancolia.


A obra é uma espécie de metáfora completa do que sente a pessoa acometida pelo vazio existencial profundo.


Música, paisagem, cores, movimentos… Tudo comunica o mal-estar contínuo do melancólico, que não se dilui com conselhos, ocasiões festivas, bens materiais ou afetos.


Pelo olhar de Lars Von Trier, enxergamos a melancolia como mergulho lento e infinito, num abismo que ecoa a ausência de sentido.


Sintomas da melancolia


Tristeza e frustração são inevitáveis.


Elas nos derrotam, temporariamente, extinguindo todas as nossas energias.


Você já deve ter passado por alguma situação assim e entrado em contato com seus efeitos em algum momento da vida.


Agora, imagine esse estado como algo ininterrupto.


Todos os dias, sem uma razão que possa ser superada — porque sem contornos definidos — o melancólico experimenta o peso de uma vida sem sabor.

As manifestações desse desgosto — tal como acontece com a depressão e tristeza passageira — são particulares.


Ou seja, não devemos criar um estereótipo.


Mas podemos examinar alguns indícios, mais comuns, desde que tenhamos o cuidado de não os confundir com uma regra.


Dentre esses, os sinais mais típicos são:

  • distúrbios de sono;

  • falta de apetite;

  • inatividade física;

  • introspecção acentuada;

  • dificuldade para estabelecer relações afetivas;

  • tédio;

  • desânimo;

  • autodepreciação;

  • perda da libido;

  • choro frequente;

  • indiferença aos prazeres comuns;

  • olhar vago, perdido, distante do presente;

  • semblante entristecido;

  • atenção dispersa;

  • sentimentos de culpa e inadequação;

  • isolamento;

  • baixa autoestima;

  • perturbações psicomotoras (lentidão ou agitação de movimentos);

  • ansiedade;

  • pensamentos suicidas.


Tratamentos indicados para melancolia


melancolia o que é
A melancolia crônica e incapacitante deve ser percebida como um sinal de depressão.

Terapia, rotina de atividades físicas, meditação, e alimentação equilibrada são cuidados muito bem-vindos e, sem dúvida, colaboram para que a qualidade de vida atinja um novo patamar.


Veja também: Quais os alimentos que podem ajudar no tratamento da depressão?

Mas, como vimos, as causas da melancolia crônica — que pode ser descrita como depressão melancólica ou endógena — são, geralmente, fatores genéticos ou disfunções cerebrais.


Dessa forma, os medicamentos antidepressivos são fundamentais, pois atuarão diretamente na química do organismo.


Precisamos entender que o cérebro é exatamente como qualquer outro órgão do corpo.


Se temos algum problema cardíaco, por exemplo, entendemos que remédios e estilo de vida adequados nos trazem saúde.


A mesma regra vale para o desempenho cerebral.


Ele também está sujeito a falhas.


E se a medicina nos permite maior conforto, por que não buscá-la?


Pressão alta não se resolve com conselhos. Se você tem ou conhece alguém com sintomas de melancolia, pense da mesma forma.


Procure ajuda médica. Conte, sem pudores, o que sente.


Acredite: quando o monstro ganha nome, fica bem mais fácil vencê-lo.


Melancolia: frases e reflexões


  1. “A melancolia é a consciência da escuridão em nós.” — Hans Ulrich Bänziger

  2. “Quando você está perdido naquela floresta, às vezes leva um tempo para perceber que está perdido. Por muito tempo, você pode se convencer de que acabou de se desviar do caminho, de que encontrará o caminho de volta ao início da trilha a qualquer momento. Então a noite cai de novo e de novo, e você ainda não tem ideia de onde está, e é hora de admitir que ficou tão desnorteado no caminho que nem sabe mais onde nasce o sol.” — Elizabeth Gilbert

  3. “A melancolia é a melodia do nada.” — Nihil Messtavic

  4. “Para os melancólicos, o sol se põe de manhã.” — Emanuel Wertheimer

  5. “Tristeza é o que sinto quando começo a pensar dentro de mim.” — Bernhard Steiner

  6. “A melancolia é um gato perdido que acreditamos ter encontrado.” — Léo Ferré

  7. “A verdadeira melancolia é quando você perde a vida enquanto ainda a tem.” — Jacques Dor

  8. “Para as almas melancólicas, a felicidade é memória.” — Alfred Auguste Pilavoine

  9. “O deserto é uma praia que, por melancolia, se afastou do mar.” — Afonso Cruz

  10. “Não há tristeza maior do que relembrar, na miséria, a época em que éramos felizes.” — Dante Alighieri

  11. “Aqueles que buscam apenas elogios em lágrimas não choram realmente. A verdadeira dor chora quando ninguém a vê.” — Marco Valério Marcial

  12. “A melancolia vê o pior das coisas — as coisas como podem ser e não como são. Ela olha para um belo rosto e vê apenas uma caveira sorridente.” — Christian Nestell Bovee

  13. “Sentir-se infeliz pode se tornar um mau hábito.” — George Meredith

  14. “A melancolia é o prazer masoquista da alma.” — Lisz Brain

  15. “Você ficará melancólico, se for solitário.” — Ovídio

  16. “Acostumei-me tanto à melancolia que a cumprimento como uma velha amiga.” — Charles Bukowski

  17. “Há dias em que você fica tão triste que quer ficar ainda mais triste.” — Gustave Flaubert

  18. “Só saramos daquilo que desprezamos: não mime a sua melancolia se quiser superá-la.” — Anne Barratin

  19. “Nostalgia é saudade do que vivi, melancolia é saudade do que não vivi.” — Carlos Heitor Cony

  20. “Superar a dor significa proibir-se de comparar o futuro e o passado.” — K. Michael Mühlfeld

  21. “Às vezes, melancolia sem causa escurecia-me o rosto, uma saudade morna e incompreensível de épocas nunca vividas me habitava.” — Clarice Lispector

  22. “Existem momentos na vida de uma pessoa em que ela gosta de se cercar de objetos que a lembrem de coisas tristes.” — Aleksander Głowacki

  23. “A melancolia é o prazer de estar triste.” — Victor Hugo

  24. “A pessoa que já foi infeliz o suficiente para não amar mais nada além de si mesma, também não pode mais amar a si mesma.” — Johann Jakob Engel

  25. “A melancolia é a teia em que a pessoa cai quando é pego pela gravidade do arrependimento.” — Gabriel Anwander

  26. “Todas as mudanças, mesmo as mais almejadas, têm sua melancolia. Porque aquilo que deixamos para trás é uma parte de nós mesmos, e devemos morrer para uma vida antes que possamos entrar em outra.” — Anatole France

  27. “Comecei a entender que o sofrimento, as decepções e a melancolia não existem para nos aborrecer, nos depreciar ou nos privar de nossa dignidade, mas para nos amadurecer e nos transfigurar.” — Hermann Hesse

Dicas de referências sobre melancolia


Livros:

  • Saturno nos trópicos: a melancolia européia chega ao Brasil, por Moacyr Scliar. Editora Companhia das Letras.

  • Melancolia: Literatura, por Luiz Costa Lima. Editora Unesp.

  • História da Melancolia, por Táki Athanássios Cordás e Matheus Schumaker Emilio. Editora Artmed.

  • A anatomia da melancolia (3 volumes), por Robert Burton. Editora UFPR.

  • A tinta da melancolia, por Jean Starobinski. Editora Companhia das Letras.

  • Sol Negro: depressão e melancolia, por Julia Kristeva. Editora Rocco.

  • Luto e melancolia, por Sigmund Freud. Editora Lebooks.

Filme:

  • Melancolia (Melancholia), de Lars von Trier, 2011.

Série:

  • Peripatético (episódio 4), apresentada por Luiz Felipe Pondé.

Curta:

  • On Feeling Melancholy, de The School of Life.

Compartilhe este post em suas redes sociais! Ele pode ser o início de uma jornada de autoconhecimento para muitas pessoas.




Clinica de Psicologia Nodari

Clínica de Psicologia Especializada em Terapia Cognitivo Comportamental.

Está localizada na Vila Mariana/SP

344 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo