Preocupação excessiva: como evitar?

Sua preocupação excessiva está te deixando cada vez mais ansioso e angustiado? Experimente as técnicas que revelamos neste post!


técnicas para lidar com a preocupação excessiva
Confira técnicas para enfrentar a preocupação excessiva com o futuro.

Quando a preocupação excessiva se torna incômoda é porque representa um exercício vazio.


Ou seja, não traz ideias produtivas e nem permite organizar planos viáveis.


Por outro lado, existem preocupações inteligentes.


São aquelas que antecipam mentalmente fatos concretos. Nos convidam a atitudes de melhor preparo, no presente.


Então, antes de definir como lidar com suas inquietações, avalie — com honestidade — o que sua preocupação está sugerindo:

  • É algo que está no seu controle?

  • Há um aprendizado sendo requisitado?

  • Implica em alguma mudança que você pode, objetivamente, realizar?


Se a resposta for “sim”, ótimo. Isso significa que a preocupação tem uma finalidade. É um pensamento funcional, que cuida da sua sobrevivência e bem-estar.


Mas, se a resposta for “não”, toda a aflição serve (apenas) para alimentar pensamentos catastróficos, que se perdem de soluções.


Ou seja, puro desperdício de tempo, energia e saúde.


Preocupações excessivas: o que pode acontecer quando você se preocupa demais?


Seu corpo e sua saúde mental sofrem as consequências do estado de constante vigília.


Sendo assim, é comum que o excesso de preocupações resulte em:

  • mudanças no apetite;

  • nervosismo;

  • dores de cabeça;

  • irritabilidade acentuada;

  • uso excessivo de álcool, cigarros e outras substâncias, para buscar alívio;

  • tensões musculares;

  • insônia;

  • problemas de memória e concentração.

Quando a preocupação se torna um estado crônico, é provável que afete o sistema imunológico (defesas do organismo).


Também aumenta o risco de doenças cardíacas e a probabilidade de transtornos mentais — como ansiedade e síndrome do pânico.


Por que é tão difícil parar de se preocupar?


Dentre as razões que nos fazem persistir em preocupações, podemos citar:

  • Acreditamos que manifestar preocupação é equivalente a mostrar que nos importamos com uma situação ou com uma pessoa.

  • Entendemos que a preocupação nos protege de imprevistos.

  • Associamos preocupação à busca de soluções.

  • Encaramos a preocupação como um artifício que nos impede de cometer erros.


Claro, não há nada de errado em pensar em situações que podem acontecer. Buscar se prevenir de problemas. Ou dedicar um tempo para considerar possíveis consequências de uma determinada atitude.


Na verdade, a preocupação pode ser muito positiva! Desde que leve a ações.


Porém, ela se torna um grande entrave quando se resume à ruminação de pensamentos negativos. Quando nos paralisa e nos sobrecarrega com medos irracionais.


Preocupação excessiva: como parar?


Quer evitar que as preocupações determinem seu humor?


Pratique estas técnicas e observe as mudanças em seu bem-estar e clareza mental:


1. Tenha um momento “egoísta”


Esqueça os outros, por um instante.


Tire as opiniões deles de cena e reavalie o que a preocupação excessiva representa.


Ela se sustenta, se você retira os possíveis julgamentos alheios do contexto?


Quanto do que te perturba não tem relação com suas escolhas, mas sim com hipóteses sobre o que os outros vão pensar?


Situe sua identidade no centro da questão.


É com o que você pensa que deve se ocupar — desse aspecto você pode cuidar.


O que os outros pensam não está ao alcance de sua imaginação.


Logo, qualquer exercício de adivinhação é tolo (e, no fundo, você sabe muito bem disso).

Veja também: Como lidar com as críticas? Aprenda estratégias poderosas que vão te ajudar em diferentes situações

2. Exercite sua autoconfiança

enfrentar preocupações com desenvolvimento pessoal
Enfrente preocupações buscando melhorar suas habilidades.

Quantas de suas preocupações são resultado da percepção que tem de si?


Defina, com precisão, quais são os pontos fracos que te incomodam. Sem generalizações!


É possível fazer algo a respeito?


Às vezes, a solução é muito prática.


Por exemplo, se você se sente despreparado para uma entrevista de emprego. Ao invés de se fixar em ideias de fracasso, pode optar por ler mais sobre a empresa, assistir tutoriais com dicas para melhorar a performance, etc.


Ou seja, você pode ser ativo diante das deficiências percebidas e atuar para minimizá-las.


Mas, se não há nada que possa ser feito — que dependa de uma atitude sua — aceite suas limitações naquele momento.


Tire o peso de autocobranças — que apenas o distraem de quem você é!


Para cada preocupação, responda com o seu melhor.


Se a resposta é impossível, é porque a inquietação não faz sentido.

Leitura complementar sugerida: O que é aceitação? Um sinal de fraqueza ou uma atitude libertadora?

3. Exista no presente

afastar preocupações com ações no presente
Afaste preocupações com uma ação imediata.

O futuro é uma ilusão criada pela mente. Não estamos lá.


O problema é que, enquanto nos dedicamos a tentativas de adivinhar o futuro, prejudicamos nosso domínio sobre o presente.


Porque preocupações nos estressam e roubam energia.


Nos tiram a clareza sobre o que, de fato, estamos vivendo.


Assim, acabamos relapsos em relação ao tangível para sofrermos em... uma fábula!


Dessa forma, ao se perceber perdido em "conjecturas" sobre dificuldades, retome o controle.


Olhe para o agora e decida se concentrar nos desafios do momento.


A melhor forma de afastar a preocupação excessiva é interrompê-la com uma ação imediata.


Direcione o empenho de seus pensamentos de forma a obter o melhor do presente — e não a criar o pior cenário para um futuro duvidoso.

Leia também: O que a preocupação com o futuro significa?

4. Desafie suas crenças

exercite o diálogo interno com as preocupações
Estabeleça uma "conversa" com seus pensamentos e preocupações.

Algumas preocupações são persistentes, como uma companhia que se aproveita de qualquer distração para se alojar.


É complicado ignorá-las, já que ficam se repetindo, como uma fala teimosa.


Se não respondemos às suas provocações, elas se fortalecem, pois passam a se mostrar prováveis.


Ora, se não enxergamos alternativas, nos rendemos ao raciocínio pessimista. Se ele é o único que nos ocorre, acaba aceito como verdade.


Então, tire um tempo para estabelecer um diálogo com suas preocupações.


Permita que elas expressem o cenário terrível que acreditam à frente.


E, para cada convicção, contraponha outras possibilidades.


Faça um esforço racional para isso.


Ao serem enfrentadas com ideias de horizontes diferentes, as preocupações crônicas mostram suas fragilidades. Suas incoerências. E, principalmente, sua real probabilidade.

Conteúdo relacionado: Pensamentos disfuncionais: 18 tipos de pensamentos que estão te boicotando

5. Verbalize suas preocupações


Fale com alguém sobre os motivos que geram sua preocupação excessiva com o futuro.


Pode ser com um amigo de confiança, um familiar ou psicólogo.


O que importa é você se sentir à vontade para comunicar suas angústias, sem receio de ser julgado.


Se você preferir, também pode usar o papel como “ouvinte”.


A ideia é tirar a preocupação de seu ambiente ideal — a mente — onde ela se desenvolve freneticamente e sem necessidade de vínculo com a razão.


Organizar a preocupação num discurso — escrito ou falado — lhe dá contornos definidos.


E o que é definido é melhor gerenciado.

Veja também: Como organizar os pensamentos (4 maneiras de colocar as ideias em ordem).

6. Técnica de respiração com ocitocina


Em momentos de muito estresse, ansiedade ou preocupação, experimente esta técnica de relaxamento:

  1. Respire profundamente, preenchendo sua barriga com ar.

  2. Só pare de inspirar quando sentir que chegou ao limite.

  3. Depois, expire lentamente pela boca, emitindo um som de “Haaa…” enquanto esvazia o abdômen.

  4. Repita o processo algumas vezes, até se sentir mais tranquilo.

A ocitocina é conhecida como “hormônio do amor”, pois está relacionada a nossas sensações de prazer e afeito.

Com esse exercício simples, aumentamos a produção desse hormônio em nosso organismo, favorecendo o bem-estar.


Preocupação excessiva: recursos complementares


Você pode obter ajuda extra para driblar a excessiva preocupação com o futuro conferindo os seguintes recursos:


Livros


  • Vencendo a ansiedade e a preocupação com a terapia cognitivo-comportamental. Tratamentos que funcionam: manual do paciente. Por David A. Clark e Aaron T. Beck. Editora Artmed.

  • Como lidar com as preocupações: sete passos para impedir que elas paralisem você. Por Robert L. Leahy. Editora: Artmed.

  • Ansiedade, medo e preocupações: manual da mente tranquila. Orientações para o controle da ansiedade e das preocupações do dia a dia. Por Juliana Vieira Almeida Silva. Juruá Editora.

  • Preocupações, nunca mais! Um livro sobre como lidar com a preocupação e ansiedade. Por Christine A. Adams. Paulus Editora. Livro infantojuvenil.

  • A coragem de não agradar. De Ichiro Kishimi e Fumitake Koga. Editora Sextante.


Texto


Há outras informações que serão úteis para você no texto “Como lidar com pensamentos obsessivos?”. Clique e confira!


Vídeos


Como se preocupar menos e diminuir a ansiedade

Preocupações excessivas e Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)

Terapia


A terapia cognitivo comportamental (TCC) propõe uma série de técnicas — validadas por estudos científicos — que ajudam a lidar com preocupações excessivas de maneira eficiente.


Para obter mais informações, confira matérias sobre TCC aqui no blog.


Ou entre em contato com psicólogos da Clínica Nodari por meio do formulário do site.


Você também pode se interessar por: Consulta com psicólogo: como é a primeira sessão de terapia?




Clinica de Psicologia Nodari

Clínica de Psicologia Especializada em Terapia Cognitivo Comportamental.

Está localizada na Vila Mariana/SP

94 visualizações0 comentário