Você é uma pessoa assertiva?



A pessoa assertiva, de acordo com a terapia cognitivo-comportamental (TCC), é aquela que demonstra uma conduta equilibrada.


Ela expressa opiniões e desejos sem, no entanto, desrespeitar as necessidades dos outros.


Em oposição ao comportamento assertivo, podemos pensar em agressividade ou passividade.


Uma pessoa agressiva, por exemplo, tem dificuldade de escutar seus interlocutores. Se impõe — sem permitir o diálogo — e acaba sendo arrogante e desagradável.


Já uma pessoa passiva, tende a se anular. Para buscar aceitação social, opta por ceder aos outros, silenciando a capacidade de argumentar.


Agir com assertividade, portanto, é encontrar uma espécie de “caminho do meio” entre essas posturas.


Ao comunicar pensamentos e sentimentos — sem abrir mão da empatia — a pessoa assertiva conquista seus objetivos com maior facilidade, se relaciona com desenvoltura e assegura uma série de benefícios à saúde mental.


A boa notícia é que assertividade é uma habilidade que pode ser desenvolvida, em qualquer idade.


Logo, se você se vê mais como uma pessoa passiva ou agressiva do que assertiva, saiba que é possível alterar essa disposição.


5 dicas para se tornar uma pessoa assertiva


Por vezes, ignoramos como alguma mudança em nosso estilo de comunicação pode transformar atividades — e estado mental — do dia a dia.


Pense em ocasiões que você se viu profundamente contrariado, mas preferiu não argumentar.


Ou, ao contrário, reagiu ao incômodo de forma impetuosa, respondendo de forma rude, provocando um mal-estar ainda maior.


Leia também: Resiliência: o que é e como pode nos ajudar no dia a dia


Quando essas posturas se tornam padrões de comportamento, precisamos refletir.

Fuga ou ataque não podem ser hábitos cultivados. Tanto um quanto outro, nos levam ao isolamento social, estresse, ansiedade e depressão.


Faça uma autoanálise de suas reações. No trabalho, nos relacionamentos pessoais, nas circunstâncias cotidianas.


Se você é vencido pelo medo de apresentar seu ponto de vista ou, no sentido oposto, não percebe a voz e razões dos outros, precisa encontrar novas soluções.


Desenvolver a assertividade é, justamente, o caminho para melhorar suas interações.

Para aprender a exercitá-la, siga este passo a passo:


1. Pratique a empatia


É possível resolver — ou evitar — conflitos quando adotamos a perspectiva do outro, para avaliar situações.


Uma pessoa assertiva tem uma escuta ativa. Portanto, faça perguntas abertas, permita que seu interlocutor revele seus gostos, insatisfações ou necessidades.


Não se apresse em julgar. Você não precisa concordar com o que a outra pessoa pensa. Apenas deve compreender seus motivos para descobrir como dar sequência à conversa.


Experimente treinar essa abordagem com seus familiares, amigos e colegas de trabalho.

Você descobrirá que entender outros pontos de vista é de extrema ajuda para lapidar o seu.


2. Aprenda a dizer não


Ser assertivo não significa estar apto a tudo. Você tem limites e deve respeitá-los.

O receio de gerar decepções ou desagrados pode nos impulsionar a aceitar compromissos para os quais não contamos com verdadeira disponibilidade.


No âmbito profissional, isso pode ser bastante recorrente.


Confundimos produtividade e eficiência com excessos tóxicos. Cuidado, isso pode ocasionar efeitos nefastos, como a síndrome de burnout.


Encare a realidade de seu tempo e habilidades. Caso algo contrarie sua capacidade de realização, argumente.


Sempre que possível, apresente alternativas para o que foi solicitado. Quando você oferece escolhas ao outro, torna o diálogo mais amistoso.


3. Mantenha a calma


A discussão ficou intensa? Esbravejar não irá tornar as coisas mais fáceis.


Respire fundo, literalmente. Ao controlar a respiração, recuperamos a capacidade de raciocinar com clareza.


Lembre que a comunicação assertiva é aquela que resolve pendências. Vencer “no grito” não é uma opção.


Saia para dar uma volta e tome um copo d’água antes de responder àquele e-mail que o tirou do sério. O calor da hora pode prejudicar sua escolha de palavras.


A mesma regra vale para discussões de relacionamento. Baixe o tom de voz, olhe nos olhos, respire. Explique como se sente ao invés de dirigir acusações.


Leia também: Benefícios da meditação para o cérebro


4. Filtre as críticas que receber


Diariamente, estamos expostos a todo tipo de feedback. Inclusive nas redes sociais, onde os famosos haters promovem ofensas perturbadoras.


Existem opiniões que você deve ignorar, sem dúvida. Mas, como você não é “dono da razão” e está sujeito a falhas, também deve estar aberto a críticas que o façam pensar.


Como definir sua atitude, em cada situação?


A primeira dica é voltar ao primeiro passo desta lista. Pratique a empatia. Perceba o lugar do outro, daquele que lhe dirige o comentário.


Você o ofendeu, desrespeitou, não cumpriu com algo combinado? Então, se corrija. Aprenda com o erro e se esquive de repetir o comportamento equivocado.


Agora, se a sua postura apenas contrariou as convicções do outro… Reforce a autoconfiança.


Pensamentos divergentes do seu sempre aparecerão. Eles podem impulsionar seu crescimento pessoal, porque mostram perspectivas que você não considerou.


Porém, não se anule no processo. Ser diferente não é ser errado.

Abraçar a diversidade é a atitude mais assertiva.


5. Diga o que pensa


O medo da rejeição é um obstáculo que precisa ser superado.


É certo que você ouvirá recusas ao longo da vida.


O problema é presumir negativas, antes mesmo de tentar uma abordagem.


Observe seu próprio histórico. Cada oportunidade que você já teve surgiu de uma atitude de coragem. Sem plena certeza de que encontraria sucesso na investida, você se arriscou.


Mantenha essa regra em mente, sempre que precisar expor sua opinião.


Infelizmente, não existem garantias de aprovação. Por outro lado, a ausência de iniciativa — inevitavelmente — resultará em frustração.


Para ser uma pessoa assertiva, você deve insistir em aprimorar a verbalização de suas ideias.


O exercício contínuo é a melhor estratégia para se fazer entender e alcançar os mais diversos objetivos.


Gostou do texto? Então o compartilhe com seus amigos, em suas redes sociais! #Psicologia #Psicóloga #VilaMariana #SaúdeMental #Assertividade

40 visualizações

Rua Domingos de Morais, 2781, conj. 310

04035-001, Vila Mariana, São Paulo, SP

Ao lado da estação metrô Santa Cruz

Estacionamento gratuito no local

whatsapp-512.png
  • icone_facebook
  • icone_instagram

© 2019 | site da Clínica de Psicologia Nodari.